Mini Basquete

por SERGIO, 15/01 às 10:07 em Grupo de Destaque III

Mini Basquete

FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DE BASKETBALL (FIBA)

COMITÊ INTERNACIONAL DE MINI-BASQUETE.

REGRAS DE MINI-BASQUETE

O mini-basquete é um jogo para crianças com menos de 12 anos. Foi desenvolvido como uma forma divertida de se descobrir o basquete.

É uma atividade recreativa e, com sua riqueza em atividade física, desenvolvimento social e espírito de equipe, estimula as crianças a trilhar uma vida esportiva saudável.


REGRA 1 - O JOGO


 

Art. 1 Mini-Basquete

O mini-basquete é um jogo baseado no basquete e indicado para meninos e meninas com 12 anos ou menos, aferidos no início da competição.

Art. 2 Definição

O propósito de cada equipe é o colocar a bola na cesta do oponente e evitar que o oponente marque pontos, seguindo as regras do jogo.


REGRA 2 - DIMENSÕES E EQUIPAMENTOS


 

Art. 3 Dimensões da Quadra

A quadra de jogo deve ser retangular e de se superfície lisa, dura e sem obstáculos. Sua dimensão deve ser de 28m de comprimento e 15m de largura. Outras dimensões podem ser usadas, desde que se conserve a mesma proporção, como por exemplo: 26 x 14 m, 24 x 13 m, 22 x 12 m e 20 x 11 m.

Art. 4 Linhas

As linhas da quadra de basquete são desenhadas de acordo com as ilustrações desse livro. Elas são as mesmas desenhadas nas quadras de basquete normal, exceto pelo seguinte:

• A linha de lance livre tem 4m de distância da tabela;

• Não existe linha ou área de 3 pontos.

Todas as linhas devem ter 5cm de espessura e devem ser perfeitamente visíveis.

Art. 5 Tabelas

Cada uma das tabelas devem ter a superfície lisa de madeira maciça ou de material transparente adequado. As dimensões devem ser de 1,20m horizontalmente e de 0,90m verticalmente, e montada na forma que mostra o diagrama.

Art. 6 Cestas

As cestas devem englobar os aros e as redes. Cada uma das cestas deve estar a 2,60m acima do chão.

Art. 7 Bola

A bola deve ser esférica, com a superfície exterior de couro, borracha ou de outro material sintético. Sua circunferência deve estar entre 68 e 73 cm e o peso deve estar entre 450 e 500 gramas.

Art. 8 Equipamento Técnico

O seguinte material técnico deve ser providenciado :

• Cronômetro do jogo

• Súmula oficial de jogo;

• Marcadores numerados de 1 a 5, para indicar o número de faltas pessoais cometidas por jogador;

• Um mecanismo sonoro de aviso.


REGRA 3 - OS OFICIAIS E SEUS DEVERES


 

Art. 9 Os Árbitros

Dois árbitros devem dirigir o jogo de acordo com as regras. Ambos são responsáveis por marcar faltas e violações, por validar ou cancelar cestas e lances livres e também por administrar penalidades de acordo com a regras.

Art. 10 O Anotador

O anotador é responsável pela súmula. Ele mantém um registro com as cestas e lances livres convertidos. Também anotará as faltas cometidas, conforme sinalização do árbitro e levantará os marcadores para mostrar o número de faltas cometidas por cada jogador.

Art. 11 O Cronometrista

O cronometrista é responsável pelo controle do tempo de jogo e pela indicação do final de cada um dos períodos.


REGRA 4 - JOGADORES, SUBSTITUTOS E TÉCNICOS


 

Art. 12 Equipes

Cada equipe deve ter 10 jogadores: 5 jogadores na quadra e 5 substitutos.

Um membro da equipe é considerado um jogador quando ele está na quadra e está autorizado a jogar. De outra forma, ele é considerado um substituto.

Art. 13 Técnicos

O técnico é o líder da equipe. Ele orienta os jogadores de fora da quadra, de forma calma e amistosa, e é responsável pela substituição dos jogadores.

Ele é auxiliado pelo capitão da equipe, que deve ser um dos jogadores.

Art. 14 Uniformes

Todos os jogadores de uma equipe devem vestir uniformes iguais e com numeração na frente e atrás da camisa.

As equipes só podem usar números de 4 a 15.


REGRA 5 REGULAMENTAÇÔES DE TEMPO


 

Art. 15 Tempo de Jogo

O jogo consiste em dois períodos de 20 minutos cada, com intervalo de 10 minutos entre eles. Cada período é dividido em 2 períodos de 10 minutos cada, com um intervalo de 2 minutos entre eles.

O cronometrista controla o tempo de jogo, parando o relógio apenas nas seguintes situações:

• Em uma falta;

• Em uma bola ao alto;

• Ao final de um período;

• Para uma bola morta;

• Quando um jogador comete 5 faltas pessoais ou é desqualificado;

• Quando um jogador está machucado;

• Quando o árbitro o instrui;

Após o relógio ter sido parado, o cronometrista deve reiniciá-lo assim que a bola for tocada, dentro da quadra.

Art. 16 Início de Jogo

Todos os períodos devem começar com a bola ao alto no círculo central. O árbitro deve efetuar o lançamento da bola entre dois oponentes. O relógio é iniciado quando a bola é tocada por um dos jogadores.

No segundo tempo, as equipes devem trocar de cestas.

Art. 17 Bola ao Alto

Ocorre a bola ao alto quando o árbitro lança a bola verticalmente para o alto entre os dois oponentes em um dos círculos da quadra.

A bola só pode ser tocada por um ou por ambos os jogadores depois de alcançar o ponto mais alto de sua trajetória.

Todos os outros jogadores devem se manter fora do círculo até que a bola seja tocada por um dos jogadores saltantes. Se houver uma violação, a posse de bola bola será dada ao oponente, que cobrará um lateral. Se ambos os time forem responsáveis pela violação, será feita outra bola ao alto.

Será administrada uma bola ao alto quando:

• Dois ou mais jogadores de equipes opostas estão firmemente segurando a bola com as mãos.

• A bola sair, tendo sido tocada simultaneamente por dois adversários.

• O árbitro estiver em dúvida sobre o último jogador a tocar na bola.

• O árbitro e o fiscal discordam sobre quem tocou a bola por último.

• A bola fica presa no suporte da cesta.

• A bola acidentalmente entra na cesta por baixo.

• Uma falta dupla é marcada.

Quando uma bola ao alto é marcada, deverá ser administrada no círculo mais próximo do lance que a originou, sendo a bola lançada verticalmente pelo árbitro entre os dois oponentes.

Art. 18 Cesta – Quando é convertida e o seu valor

Uma cesta é marcada quando uma bola viva entra na cesta por cima e passa por dentro dela. Uma cesta de campo vale 2 pontos e uma cesta de um lance livre vale 1 ponto.

Após uma cesta de campo convertida ou após a conversão do último lance livre, a equipe adversária reiniciará o jogo através da cobrança de lateral desde a linha de fundo da quadra no tempo máximo de 5 segundos.

Art. 19 Empate

Se o placar estiver empatado ao final do quarto período, este será o resultado final, não devendo-se jogar nenhuma prorrogação.

Art. 20 Final de Jogo

O jogo termina com o soar do sinal sonoro do cronometrista ou do placar, indicando o término do tempo de jogo.


REGRA 6 REGULAMENTAÇÕES DE JOGO


Art. 21 Substituições

Cada jogador deve jogar em dois períodos, exceto aqueles que tiverem sido substituídos por lesão, desqualificação ou que tenham cometido 5 faltas pessoais.

Cada jogador deverá permanecer sentado no banco de reservas durante os outros períodos, exceto quando for substituir a outro jogador por lesão, desqualificação ou pelo cometimento de 5 faltas pessoais. Mesmo nestas situações especiais, o jogador deverá permanecer como substituto por um período completo.

Art. 22 Como a Bola é jogada

No mini-basquete a bola é jogada com as mãos. Pode ser passada, arremessada ou lançada em qualquer direção dentro dos limites das regras do jogo.

É uma violação correr com a bola, chutá-la intencionalmente ou bater nela com os punhos.

Tocar acidentalmente na bola com a perna ou pés não é uma violação.


REGRA 7 VIOLAÇÕES


Art. 23 Violações

Uma violação é uma infração ás regras, em virtude da qual o árbitro deve parar o jogo imediatamente e conceder a posse de bola ao oponente, mediante a administração de um arremesso lateral.

Art. 24 Reposição de bola

O jogador deve repor a bola de fora da quadra no local indicado pelo árbitro, que será o mais próximo do local da infração (falta ou violação).

A partir do momento em que a bola está à disposição do jogador, ele tem 5 segundos para passá-la para um jogador que esteja dentro da quadra.

Quando a reposição estiver acontecendo, nenhum outro jogador pode ter uma parte do seu corpo sobre ou além das linhas laterais ou de fundo, caso em que a reposição deverá ser feita novamente.

O árbitro deverá entregar nas mãos do jogador a bola, quando ela tiver que ser reposta desde as linhas laterais ou de fundo.

Art. 25 Localização do Jogador

A localização do jogador é determinada pelo local onde ele toca o solo. Quando ele está no ar, considera-se que ele esteja no local de onde saiu ao efetuar o salto.

Art. 26 Jogador fora da quadra

Um jogador está fora da quadra quando ele toca o chão sobre ou após as linhas que delimitam a quadra.

A bola está fora da quadra quando ela toca um jogador, o solo, ou qualquer objeto após a linha do limite da quadra, incluindo o suporte das tabelas.

Jogar a bola para fora da quadra é uma violação, punida com a cobrança de lateral pela equipe adversária.

Se o árbitro tem dúvidas sobre qual jogador tocou por último a bola, será administrada uma bola ao alto.

Art. 27 Pivô

Um jogador que recebe a bola quando está parado ou parando e receber a bola está autorizado a fazer a jogada de pivô.

A jogada de pivô ocorre quando o jogador que está segurando a bola pisa uma ou mais vezes em qualquer direção com o mesmo pé, e o outro pé, chamado pé de pivô, permanece no mesmo lugar em contato com o chão.

Art. 28 Progredindo com a Bola

Um jogador que está com a posse de bola pode avançar em qualquer direção, com as seguintes limitações:

1) O jogador que, estando parado, recebe a bola, pode pivotar utilizando qualquer de seus pés como pé de pivô.

2) Um jogador que recebe a bola enquanto está em movimento pode se utilizar de uma parada em dois tempos para ficar com a bola ou passá-la.

3) Um jogador que recebe a bola quando está parado ou que para legalmente com a bola nas mãos:

• Pode levantar seu pé de pivô e saltar, quando arremessa a bola para a cesta ou a passa, mas a bola deve deixar suas mãos antes que qualquer de seus pés toque o solo novamente;

• Não pode levantar seu pé de pivô para começar a driblar antes que a bola saia de suas mãos;

Progredir com a bola fora destes limites é uma violação e a posse de bola será concedida à equipe adversária.

 

Art. 29 Driblando

Se um jogador desejar progredir com a bola ele pode driblar, isto é , quicar a bola com uma mão.

O jogador não está autorizado a:

• Quicar a bola com as duas mãos ao mesmo tempo;

• Deixar a bola parar em sua mão e continuar a driblar.

Art. 30 Posse da Bola

Um jogador tem a posse da bola quando:

• ele está segurando a bola;

• ele está quicando a bola.

Uma equipe tem o controle da bola quando um de seus jogadores tem a posse da bola ou a bola é passada entre companheiros daquela equipe.

Art. 31 Regra dos 3 segundos

Um jogador não pode permanecer na área restrita do oponente por mais de 3 segundos enquanto sua equipe detiver a posse da bola.

Uma infração a esta regra é uma violação, punida com a cobrança de lateral para a equipe adversária.

O árbitro não deve punir o jogador que acidentalmente entrar na área restrita mas que não participa da jogada.

Art. 32 Regra dos 5 segundos

Um jogador que, marcado de muito perto (distância de um passo normal) que retenha a bola sem passar, arremessar ou quicar por mais de 5 segundos comete violação.

A bola é dada ao adversário para reposição em jogo.

Art. 33 Retorno da bola à quadra de defesa

Um jogador cuja equipe tem a posse da bola na quadra adversária não pode retorná-la à sua quadra de defesa. Caso isto ocorra, a posse de bola é concedida à equipe adversária para reposição em jogo.

A linha do centro é parte da quadra de defesa.

Art. 34 Jogador em ato de arremesso

Um jogador está em ato de arremesso quando, no julgamento do árbitro, começa uma tentativa de converter uma cesta. O ato continua até que os dois pés do jogador tenham voltado ao solo.


REGRA 8 FALTAS PESSOAIS


Art. 35 Faltas

A falta é uma violação às regras envolvendo contato pessoal com um oponente ou comportamento anti-desportivo.

Art. 36 Lances Livres

Um lance livre é um privilégio dado ao jogador, e que consiste em marcar um ponto por arremesso, a partir de uma posição diretamente atrás da linha de lance livre e dentro do semicírculo. O lance livre é cobrado pelo jogador que sofreu a falta.

Artigos relacionados

15/01/2015 - O Basquete no Brasil

15/01/2015 - Regras

15/01/2015 - Cadeira de Rodas



ESCOBASE - © 2014 - Todos os direitos reservados - Gestão e Desenvolvimento por: